Acessibilidade em clínicas odontológicas: como garantir?

28/10/2019

O artigo 5º da Constituição Federal de 1988, em seu inciso XV, estabelece a liberdade de locomoção para toda a população. Por isso, garantir a acessibilidade em clínicas odontológicas é fundamental para assegurar o direito dos cidadãos com deficiência ou com mobilidade reduzida.

Também não podemos nos esquecer de que o Decreto Federal nº 5296, de 2 de dezembro de 2004, estabelece a prioridade para o atendimento dessas pessoas. Mais recentemente, foi instituída a Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015, para a inclusão de pessoas com deficiência. Sendo assim, a acessibilidade é, portanto, um direito garantido por lei.

Além disso, é uma forma de promover o atendimento humanizado possibilitando livre acesso para aqueles que precisam receber atendimento odontológico. E, para que você mantenha a sua clínica adequada segundo as normas da ABNT 9050, preparamos este artigo trazendo algumas dicas para que ela tenha uma estrutura inclusiva e receba todos com respeito e dignidade. Confira!

Principais dicas para garantir a acessibilidade em clínicas odontológicas

Reserve vagas de estacionamento prioritário

As vagas prioritárias de estacionamento devem ser disponibilizadas o mais próximo possível da entrada do estabelecimento. Elas são destinadas ao uso de pessoas com deficiência, idosos, aqueles com mobilidade reduzida e mulheres gestantes. É importante que estejam devidamente sinalizadas para não haver equívocos.

Construa rampas de acesso

Pessoas em cadeiras de roda e aquelas que têm dificuldade de locomoção encontram, nas escadas, um grande empecilho, por isso, é importante que você instale rampas de acesso. Não se esqueça de que a inclinação delas precisa estar adequada. Por isso, é importante instalar corrimãos ou alças de apoio e optar por pisos antiderrapantes.

Instale corrimãos em escadas

As escadas mantidas precisam ser adequadas para garantir a acessibilidade em clínicas odontológicas. Instale corrimãos e alças de apoio mesmo quando houver somente um degrau. É interessante que eles sejam revestidos por um material antiderrapante e que ajude a sinalizar essas diferenças de nível para facilitar a visualização.

Mantenha as portas adequadas

O tamanho padrão das portas é de cerca de 80 cm, o que não permite o acesso de pessoas em cadeiras de rodas, por exemplo. Por isso, é importante que todas as portas do consultório sejam adaptadas com o intuito de permitir a passagem. Também é importante ter uma atenção especial com a altura de puxadores e de maçanetas.

Dê atenção ao tipo de piso

Tanto na calçada quanto na área interna, é importante que o piso escolhido garanta a acessibilidade à clínica. Na área externa, o piso tátil favorece a locomoção de deficientes visuais. Já na área externa, o ideal é preferir texturas antiderrapantes e evitar o uso de tapetes.

Adapte os banheiros

Esse é um dos pontos importantes da acessibilidade em clínicas odontológicas, afinal, é comum que os banheiros em espaços destinados ao público tenham dimensões diminutas. Porém, para assegurarem a inclusão, eles devem permitir o livre acesso de pessoas em cadeiras de rodas; os assentos precisam estar adaptados; e as alças de apoio devem ser acrescentadas.

Mantenha os corredores bem espaçados

A movimentação dentro da clínica precisa ser facilitada também. Além de evitarem obstáculos, os corredores devem ser bem espaçados para que as pessoas possam ter acesso aos diferentes ambientes. Sua largura varia entre 90 cm e 1,5 m, dependendo da extensão do corredor e da intensidade do fluxo de pessoas.

Disponibilize um elevador

Para as clínicas localizadas em níveis superiores, ou que tenham andares, é fundamental disponibilizar um elevador de acesso, pois escadas e rampas poderiam dificultar a movimentação dos pacientes. Além disso, não se esqueça de que esse recurso precisa ter dimensões adequadas para, de fato, ser funcional.

Essas são apenas algumas formas de garantir a acessibilidade em clínicas odontológicas. Portanto, o ideal é que todos os detalhes sejam observados para promover a inclusão dos pacientes. Uma alternativa para você não ter essa preocupação é aderir a uma franquia. Com a franquia, portanto, há um planejamento para que você conte, de fato, com essa acessibilidade.

Gostou deste artigo? Então, acompanhe as nossas postagens no Facebook, no Instagram e no YouTube para conferir outros temas interessantes!

AGENDE AGORA MESMO A SUA AVALIAÇÃO

Nome
Telefone
Unidade
Tratamento
Data Desejada
Turno Desejado