Empreendedorismo feminino: região Sul se destaca no Brasil

17/10/2019

A reflexão sobre a importância da mulher, no contexto profissional e econômico brasileiro, é alvo de constantes debates. No que diz respeito ao empreendedorismo feminino, em especial, o cenário vem se mostrando extremamente promissor para ingressar no mercado de trabalho.

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrou um dado interessante. Divulgado no final de agosto, o documento apontou que o desemprego no país recuou 0,7 ponto percentual, indo para 11,8%. A queda no índice se deu por conta, principalmente, da alta dos trabalhos realizados por conta própria e informais.

Além disso, o empreendedorismo tem sido o alvo, preferencialmente, de mulheres. Não apenas por dinheiro, mas pela vontade de fazer sua marca ser lembrada no mercado.

Empreendedorismo feminino é destaque na região Sul

Conforme a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), em 2018, 51,5% dos novos negócios são chefiados por mulheres. No Brasil, atualmente, 15,4% das mulheres é empreendedora. Entre os homens, a taxa cai para 12,6%. Isso significa que, no país, 7,9 milhões de mulheres foram corajosas o bastante para se arriscar abrindo o próprio negócio. A maior parte está localizada na região Sudeste (53,2%) e em segundo lugar no Sul (19,7%).

Quando a pesquisa analisa o perfil das mulheres empreendedoras, percebe-se que quase metade delas investe no segmento de Serviços (43,9%). Os dados, portanto, corroboram com o que a média nacional aponta, que 48% dos Microempreendedores Individuais (MEI) são mulheres e atuam, principalmente, em atividades de Beleza, Moda e Alimentação.

Também atuando na área de Serviços, porém odontológicos, as dentistas Adriane Afonso e Alessandra Batista, deram início ao seu sonho de empreender. Em 2002, as profissionais abriram a primeira clínica Dental Arte. Neste período, o pequeno consultório inaugurado em Alvorada, região Metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, se tornou referência do setor. São mais de 20 unidades e mais de 700 mil pacientes atendidos, em um sistema de franquias odontológicas seguro e com retorno de investimento garantido.

O empreendedorismo feminino não é uma moda passageira. É um aspecto importante da sociedade, principalmente porque, ao se tornarem empresárias de sucesso, essas mulheres viram fonte de inspiração para outras mulheres. Além disso, para 2019, a expectativa é muito boa. Dados da Rede Mulher Empreendedora (REM), destacam que 86% das mulheres à frente do próprio negócio acreditam que o ano de 2019 terá resultados ainda melhor que os anteriores.

Dicas de empreendedorismo feminino 

O empreendedorismo feminino é algo que desperta a curiosidade de muito mais mulheres além das pesquisas. No entanto, a falta de conhecimento para colocar as ideias em prática, acaba por deixar o projeto em pausa. Para a empresária Adriane Afonso, é preciso, em primeiro lugar, entender a motivação para prosseguir com o empreendimento. “É necessário haver autoconhecimento. Entender o que você vai ganhar e poder oferecer com o negócio”, afirma.

Já a sócia Alessandra pontua que é necessário ter calma. “Defina objetivos de curto, médio e longo prazo. Se torne uma expert em empreendedorismo, acessando sites como o Serasa Empreendedor e o Sebrae. Há uma gama enorme de material gratuito para auxiliar na montagem da ideia”, diz. Além disso, é preciso estudar o mercado. “Mapear os negócios similares é prudente nesta hora. A partir disso, é possível encontrar os diferenciais e o que pode destacar a investidora dos demais”, destaca.

Conheça mais sobre a rede Dental Arte

Assim como a maioria das mulheres empreendedoras, as sócias da rede Dental Arte enfrentaram dificuldades. Entretanto, sempre contaram com uma equipe muito profissional, que estava alinhada com seus objetivos. Portanto, foram em frente!

Elas afirmam nunca terem sofrido preconceito por serem mulheres e isso facilitou a implantação. Até mesmo, quando abriram a primeira clínica em Porto Alegre, onde a concorrência era formada por homens. “Não tínhamos porque nos intimidar. Queríamos atender uma demanda da sociedade, oferecendo odontologia de qualidade, por um preço competitivo. Esse é o nosso papel social”, comenta Alessandra.

Uma das coisas mais importantes, segundo a empreendedora, foi ter uma visão de futuro. “É necessário saber que é preciso plantar primeiro e colher depois. É um processo. Empreender é isso: errar, aprender, tentar de novo e ficar feliz com os resultados”, define.

Para saber mais sobre a rede de clínicas odontológicas Dental Arte, clique aqui.

AGENDE AGORA MESMO A SUA AVALIAÇÃO

Nome
Telefone
Unidade
Tratamento
Data Desejada
Turno Desejado